“Exército dos Sonhos” traz reflexão sobre uso de álcool pelos jovens

Peça teatral reuniu cerca de 850 alunos, na Univates, e marcou último dia do III Seminário Conectando as Redes de Proteção

Lajeado – “Temos que trabalhar o tema dos perigos do álcool e direção com os alunos. Precisamos conscientizar e falar sobre o que pode acontecer.” As palavras são da professora da Escola Dom Pedro I, Lidoni Toigo, que assistiu à peça teatral Exército dos Sonhos, durante o III Seminário Conectando as Redes de Proteção – perspectivas e desafios, realizado pelo programa Vida + Viva Sem Álcool (-18). A atividade começou na quinta-feira e terminou na sexta-feira, na Univates.
A peça, produzida pela Fundação Thiago de Moraes Gonzaga, trouxe como cena principal a amizade de quatro jovens em situações cotidianas, com os seus sonhos, desejos e conquistas. Baseada em fatos reais, a apresentação chama para a reflexão sobre as consequências do uso de bebidas alcóolicas na adolescência, pois, na trama, o grupo sofre um acidente de trânsito com um sobrevivente.

“Fiquei muito emocionada com a peça, que mostrou a realidade. Percebi que os alunos também gostaram muito. Os papéis foram muito bem representados,” afirmou a professora. Cerca de 850 estudante também assistiram à apresentação. Aluno da escola Dom Pedro I, Claiton Quinot (15) definiu o teatro como interessante, divertido e informativo e como uma maneira diferenciada de sensibilizar os alunos. “Gostei muito. Temos que ter cuidados no trânsito.”

Antes da peça, os alunos foram recepcionados pela presidente da Fundação, Diza Gonzaga. Ela destacou que uma das motivações do seu trabalho é a participação dos jovens nas ações da entidade. “Fico feliz quando posso vê-los. Cada um de vocês têm um pouco do meu filho. Vejo muitos Thiagos aqui.” Ela lembrou da partida do filho, há 21 anos, uma semana após completar 18 anos.

“Os poucos anos que ele viveu, parece que foi toda a minha vida, os meus 60 anos. E o tempo que ele se foi, parece que foi ontem.” Diza destacou que a Fundação é a favor da vida e da prevenção da combinação do álcool e direção. “Queremos que os jovens se divirtam, mas que voltem para casa. Não somos imortais e precisamos cuidar da vida.”

Em relação às estatísticas, ela lembrou que a principal causa de morte entre os jovens são os acidentes de trânsito. Segundo ela, pesquisas apontam que aumentou para 40% o índice de atropelamento de jovens no momento em que usam o celular. “É muito perigoso usar o celular na rua enquanto caminhamos.”
O coordenador do projeto Vida+Viva, o promotor de Justiça, Neidemar Fachinetto, falou sobre a reflexão do tema e os cuidados necessários para a vida. “Somos responsáveis por nós mesmos. Ações de prevenções sobre o assunto são essenciais.”

“Que a nossa sociedade não se afunde cada vez mais no álcool.”

Na parte da manhã, também marcaram o seminário os painéis sobre Educação e Justiça. As palestrantes foram a coordenadora estadual das Comissões Internas de Prevenção a Acidentes e Violência Escolar (Cipave), Luciane Manfro; a promotora de Justiça da Infância e Juventude de Porto Alegre, Inglacir Dornelles Clós Delavenova, e a coordenadora pedagógica do Colégio Monteiro Lobato, de Porto Alegre, Kátia Beppler Macagnan.

Luciane falou sobre a necessidade da realização de um trabalho específico nas escolas sobre a prevenção do uso de álcool na adolescência. No entanto, para que os projetos possam ocorrer, são necessárias novas parcerias. Conforme ela, há grande preocupação com o assunto, pois o uso de bebidas alcóolicas por estudantes afeta o rendimento e aprendizagem em sala de aula.

“Para que a prevenção e ações aconteçam, precisamos de mais parceiros. Sabemos que o jovem não tem limites como um adulto para experimentar algo. A bebida alcóolica é uma droga que pode ser comprada livremente. Essa é uma das grandes preocupações.”  Luciane ainda apresentou um vídeo sobre números do alcoolismo no Brasil. Segundo os dados, 10% da população sofre com o problema no país, que traz transtornos sociais, físicos e psíquicos. Em relação às mortes no trânsito, o número chega a 35 mil óbitos por ano.

As ações de prevenção realizadas em Porto Alegre no período das formaturas do Ensino Médio foram apresentadas pela promotora de Justiça, Inglacir Delavenova. O trabalho começou na Capital, em 2011, por meio de quatro escolas em parceria com o Ministério Público e demais órgãos como Brigada Militar, Polícia Civil, Detran, promotores de eventos, entre outros. O grupo faz fiscalizações nas festas de formatura, nos arredores e utiliza o bafômetro. Também solicita contatos de formados, familiares e convidados antes do evento – para serem chamados em caso de necessidade -, e para que não disponibilizem a bebida nas festas.

“Acredito que ainda teremos festas de jovens sem uso de álcool. Nosso trabalho precisa engajar todos os setores da sociedade para que atinja os seus objetivos. O assunto já é problema de saúde pública e social. Por isso, precisamos refletir sobre o assunto. Que a nossa sociedade não se afunde cada vez mais no álcool.”
De acordo com a promotora, Porto Alegre é a capital com maior consumo de álcool no Brasil. “Temos um trabalho árduo de prevenção, principalmente, com adolescentes. É uma questão cultural, mas a realidade precisa ser mudada.”

A coordenadora pedagógica, Kátia Macagnan, apresentou o projeto Formaturas Saudáveis, Memórias Felizes. A iniciativa também é em parceria com o Ministério Público e demais órgãos da Segurança Pública e Educação. “Sempre tivemos preocupação com o assunto, mas nos últimos anos, isso veio mais forte, porque percebemos que as festas de formatura do 3° ano começaram a vir com ostentação e presença forte do álcool.” De acordo com Kátia, além das ações de prevenção, é importante que os pais conversem com os filhos sobre os limites e perigos sobre o consumo da bebida. “Temos que trabalhar e lutar pelo bem-estar dos adolescentes. Para termos bons resultados, temos que nos unir.”

A realização do Seminário foi do programa Vida +Viva Sem Álcool (-18), Associação Lajeadense Pró-Segurança Pública (Alsepro) e Univates. O apoio foi da 3° Coordenadoria Regional de Educação, Conselho Municipal de Entorpecentes (Comen), Prefeitura, Promotorias de Justiça, Django Promoções, Docille, Farmácias São João, Magic, Método Medicina Pré-Vestibular, Sprits, Supper Rissul, Terceira Visão Multimídia, Tombado, Unimed Vales do Taquari e Rio Pardo, Uniodonto e Univale.

 

Fonte: O Informativo do Vale

Deixe seu comentário