Jorge Palma partilha histórias e canções de uma vida marcada pelo alcoolismo – Vida – SAPO 24

O cantor foi um dos participantes de uma mesa redonda sobre a Depressão, tema do Dia Mundial da Saúde, tendo dado o seu testemunho sobre o estado a que chegou, nomeadamente devido ao alcoolismo que sofreu durante 50 anos.

Aos 67 anos, Jorge Palma vive hoje sem a dependência do álcool, graças a uma cura que encontrou numa estrutura do Estado (Unidade de Alcoologia de Lisboa), depois de dar por si, em 2014, a começar o dia com 20 cervejas, seguidas de vinho, whiskies e brandies.

O exemplo de Jorge Palma, que nunca escondeu que bebia, sublinhou a importância de saber pedir ajuda, como fez o músico quando se apercebeu que “não estava a conseguir”.

Num debate moderado pelo psiquiatra e investigador português Tiago Reis Marques, os presentes reconheceram a importância de pedir ajuda, como afirmou Nélia Rebelo da Silva, coordenadora da unidade de psicologia clínica do Centro Hospitalar de Lisboa Central (CHLC).

A especialista referiu que “Portugal tem bons profissionais, com boa preparação”. “Podemos é não estar a aproveitar da melhor forma”.

A cerimónia prosseguiu com a atribuição do Prémio Nacional de Saúde de 2016 ao cirurgião António Gentil Martins, tendo em conta “a sua notável carreira assistencial, o seu contributo singular para a inovação de técnicas cirúrgicas, a extensão do acesso a modernas intervenções por parte da população pediátrica e o exemplo de cidadania interventiva que lega ao sistema de saúde”.

O médico começou por dizer que é “uma pessoa de sorte”, tendo em conta a sua ascendência ligada à medicina e partilhou aquilo que considera ser a chave para o futuro do país: a natalidade.

“Sem resolvermos o problema da natalidade não vamos a lado nenhum”, afirmou.

A cerimónia prosseguiu com a atribuição de Medalhas de Serviços Distintos do Ministério da Saúde.

O ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, agradeceu o testemunho de Jorge Palma e sublinhou a importância de quebrar os muros em torno do estigma que rodeia a saúde mental.

“Temos de ser capazes de dar as mãos” no combate à doença, disse.

Adalberto Campos Fernandes aproveitou o Dia Mundial da Saúde para anunciar o novo Prémio de Bioética João Lobo Antunes, destinado a jovens investigadores e com o qual pretende dar continuidade ao trabalho do “professor João”, falecido em outubro do ano passado.

O Dia da Saúde começou com a inauguração da Unidade de Cuidados Continuados Integrados em Saúde Mental/Residência do Restelo, um evento que contou com a presença do primeiro-ministro e dos ministros da Saúde e do Trabalho e da Segurança Social.

Trata-se de uma unidade piloto de prestação de cuidados continuados integrados de saúde mental da Associação para o Estudo e Integração Psicossocial (AEIPS), com uma estrutura residencial, localizada na comunidade, destinada a pessoas clinicamente estabilizadas com grande incapacidade psicossocial e impossibilitadas de serem tratadas no domicílio.

Esta residência recebeu os últimos doentes internados no Hospital Miguel Bombarda, em Lisboa, alguns há mais de 40 anos.

 

Fonte: Jorge Palma partilha histórias e canções de uma vida marcada pelo alcoolismo – Vida – SAPO 24

Deixe seu comentário